:: Vida Diária :: Jornalismo que completa o seu dia!

Professores da rede municipal de Teixeira de Freitas, respeitando o prazo legal de 72 horas, iniciou oficialmente a greve, nesta quinta-feira (21), com uma caminhada saindo da Praça dos Leões e indo em direção a Prefeitura Municipal da cidade. Os docentes que ainda não tiveram um acordo com atual gestão classifica a greve como indeterminada.

Brasília Marques, presidente da APLB, falou sobre a decisão de greve, dos professores, que iniciou oficialmente nesta quinta-feira (21), respeitando o prazo legal de 72 horas: “O sindicato está para garantir os direitos dos trabalhadores, nos tivemos uma reunião ontem, e será feita uma assembleia amanhã, para analisar a proposta apresentada e encaminhar os rumos do movimento.”

A presidente da APLB, ainda acrescentou que a pauta de negociação será minuciosamente estudada pela categoria, como também serão apresentadas pautas como, merenda escolar, infraestrutura das escolas, condições de saúde, entre outras: “O professor do ano passado até este ano, teve parte dos seus salários perdido e com isso perdeu seu poder de compra, então, se não tiver seu salário corrigido, ficará impossível manter uma qualidade de vida”, explicou.

 

Brasília também falou a respeito da caminhada da Previdência, que acontecerá amanhã, sexta-feira (22), e terá o objetivo de refutar a ideia de perder a aposentadoria especial dos professores. “Esse projeto de lei, se passar tirando a aposentadoria especial dos professores, que tem uma profissão extremamente desgastante, tanto física quanto emocional, e não tirar dos militares ou judiciários, por exemplo, não iremos aceitar. Se os brasileiros tem que pagar pela Previdência, tem que ser todas as categorias”, esclareceu a presidente da APLB.

Respondendo ao apelo feito pelo secretário de Educação, Hermon de Freitas, que pediu para que os professores reavaliasse a greve, a presidente da APLB, respondeu retribuindo o apelo: “Nós também faremos um apelo, que ele nos pague os 3,41% da recomposição do Piso, referente ao ano passado, para que os professores, que já tiveram perdas salariais, consiga pagar suas contas e viver dignamente.”

 

E continua: “O município já poderia ter se programado para conseguir sanar essa situação. De um lado temos o MEC que não cumpre os deveres para com os professores, do outro as dificuldades do município e de outro, temos o direito do trabalhador, criando esse impasse. Gestar bem uma cidade é fazer cumprir os direitos dos trabalhadores”, finaliza.

A Professora Eliene Costa, do ensino Fundamental, que classificou a greve como necessária neste momento: “Estamos aqui brigando por algumas pautas que já vem sendo discutidas desde o ano 2018, e que no momento ainda não foram cumpridas, então, esse movimento, aqui hoje, é uma luta pela garantia desses direitos. Não estamos aqui apenas reivindicando reajuste salarial, mas também outras pautas, como, a qualidade da merenda escolar, qualidade de trabalho entre outras pendências.”

A professora ainda afirmou que a greve terá o objetivo de seguir, caso não haja um acordo entre as partes. “Não estamos aqui lutando por benefícios exorbitantes, estamos lutando por aquilo que é do nosso direito enquanto profissionais.”

 

Elizete Costa,  professora da Escola Moabe, falou sobre a visão da classe a respeito do movimento e decisão de greve: “Vemos essa paralisação como necessária. Como, infelizmente, o gestor não avaliou nosso pedido como sendo prioridade, nosso único mecanismo é a paralisação das atividades.”

Elizete também falou da importância do apoio da população nesta causa: “Estamos fazendo uma luta justa, é importante que a sociedade saiba disso. Os professores deste país, atualmente, estão sofrendo com represálias, então resolvemos nos juntar para que a população nos apoie nesta causa. Não vamos recuar, continuaremos aqui, firmes, pela luta dos nossos direitos”, finalizou a professora.

 

Por: Vida Diária / Foco no Poder

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notácia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.

MercadoSul
CNA
carnesSP
Exata
Lekao
GIL Academia