:: Vida Diária :: Jornalismo que completa o seu dia!

Mucuri, 13 de agosto/19 – Julho foi um mês importante para as comunidades de Ponta de Areia, Barra de Caravelas, Caravelas e Ilha de Miringaba. Os pescadores e suas famílias participaram da Trilha do Conhecimento – Saberes Tradicionais, ação que faz parte do projeto “Pesca Forte – uma iniciativa solidária e justa” desenvolvida pela Suzano. A Trilha do Conhecimento aconteceu nos dias 19, 20, 27 e 28 de julho, e os pescadores puderam refletir sobre o seu dia a dia, valorizar seus conhecimentos e os resultados de suas atividades de pesca e mariscagem tradicionais.

Os pescadores passaram por cinco tendas que contavam o cotidiano deles, desde a hora em que acordam, saem para o mar, voltam, vendem seus produtos e retornam para casa. “Fizemos representações do cotidiano deles e muitos pescadores se encontraram ali. Foi emocionante”, relata a analista de meio ambiente da Suzano, Thais Fanttini.

 

O consultor de Desenvolvimento Social e Territorial da Suzano, Narcisio Luiz Loss, destaca que as atividades do projeto são realizadas para que os pescadores resgatem seus valores e a cultura local. “Para isso, fazemos debates sobre economia solidária e a roda de conversa com causos de pescador. A partir das questões levantadas nessas atividades é que realizamos a Trilha do Conhecimento para fortalecer ainda mais esse resgate”, conta ele.

O projeto é uma proposta conjunta entre as associações do setor pesqueiro do município de Caravelas e tem como objetivo agregar valor aos peixes, crustáceos e moluscos extraídos da Reserva Extrativista de Cassurubá. Visa, ainda, promover a atividade pesqueira familiar com sustentabilidade e respeito ao meio ambiente.

 

O Pesca Forte é uma iniciativa que contribui para a melhoria da qualidade de vida da comunidade pesqueira, com atividades de busca de conhecimento das verdadeiras necessidades locais, atividades sociais desenvolvidas e coordenadas pelo Programa de Apoio à Atividade Pesqueira (PAAP) e Programa de Comunicação Social e Educação Ambiental (PEA).

As atividades do projeto são realizadas sob gestão das lideranças das associações representativas das comunidades pesqueiras. São elas: AMTM – Associação dos Moradores da Tapera e Miringaba; Associação dos Moradores, Pescadores e Marisqueiras do Povoado da Barra de Caravelas; APESCA – Associação dos Pescadores de Rede de Arrasto, Boeira, Fundo e Arraieras de Caravelas; AMPAC – Associação de Marisqueiros de Ponta de Areia e Caravelas; Coompescar – Cooperativa dos Marisqueiros e Pescadores de Caravelas; e Colônia de Pescadores Z-25 de Caravelas.

 

Por: Vida Diária / Ascom

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notácia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.

MercadoSul
CNA
carnesSP
Exata
Lekao
GIL Academia