:: Vida Diária :: Jornalismo que completa o seu dia!

Teixeira de Freitas, 26 de fevereiro de 2018: Na última sexta-feira (23), a APLB – Sindicato dos Trabalhadores em Educação, realizou uma assembleia, onde foram votadas as 10 propostas feitas pela Secretaria aos professores da Rede Municipal, e a paralisação no dia 28. Os trabalhadores em educação do município votaram contra as propostas e firmaram o compromisso de realizar a paralisação.

Os pontos votados em assembleia, em sua grande maioria, não foram aceitos. Segue abaixo um resumo dos mesmos:

1 - Distribuição da carga horária com 15 aulas para o professor da Educação Infantil e Fundamental I;

2 - Dia de estudos em local de escolha para coordenadores e professores;

3 - Falta de carteiras nas escolas;

4 - Salas de creche com mais de 15 alunos e com 3 anos, devem ter 1 auxiliar;

5 - Reforma da matriz curricular da Educação Infantil e Fundamental I sem levar em conta os educadores que trabalham na área e o Conselho Municipal;

6 - Escolas em que seus ventiladores estão quebrados e com falta de carteiras;

7 - Convocação dos readaptados (mas sem uma reunião por parte da Secretaria para falar sobre pontos fundamentais entre eles: suspensão ou não dos salários e as funções correlatas que esses profissionais vão exercer nas unidades de ensino);

8 - Contratação de estagiários para reger as turmas de educação Infantil e Fundamental I;

9 - Rodízio em algumas escolas, ou seja, alunos (as), estudam em dias alternados;

10 - Não pagamento dos 30% no mês de fevereiro que corresponde a uma parcela da gratificação dos professores da educação infantil e Fundamental I.

Os 10 pontos foram votados em assembleia e a maioria reprovados pelos educadores. Os professores decidiram que vai haver paralisação no dia 28. De acordo com o sindicato, entre outros problemas, colocar estagiário com 20 aulas para pagar 400,00 reais é um processo de terceirização do ensino. Também a reformulação do currículo da educação infantil e Fundamental I, deve ser acompanhado, por representantes de pais/responsáveis, professores, Conselho Municipal de Educação e Sindicato.

Para os profissionais da educação também é um problema grave quando o Secretário Hermon Freitas, avisa nas vésperas do pagamento, que os trabalhadores da educação infantil e Fundamental I não vão receber os 30% de gratificação do seu salário.

Por: Vida Diária/APLB.

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notácia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.

POPULARES Mais acessadas na semana