:: Vida Diária :: Jornalismo que completa o seu dia!

A Polícia Civil de Nova Viçosa prendeu, na última terça-feira (19), os autores responsáveis pela morte da ativista e ambientalista Rosane Silveira Santiago, ocorrido no dia 28 de janeiro de 2019. Na tarde desta quarta-feira (20), foi realizada uma coletiva de imprensa na sede da coordenadora da 8ª COORPIN de Teixeira de Freitas, com a delegada Valéria Fonseca Chaves e o diretor do Depin, Flávio Gois, elucidando todo o caso.

O homicídio estava sendo investigado desde o dia 29 de janeiro, quando a Polícia Civil de Teixeira de Freitas tomou conhecimento do caso e seguiu em busca de informações. Foram iniciadas as investigações criminais, as quais foram realizadas oitivas com várias pessoas, bem como a realização de perícias em local de crime, necropsia e medidas cautelares necessárias.

Com o evoluir das investigações, identificou-se que o celular da vítima havia sido levado possivelmente pelo autor do crime, e também foi identificado que o celular estava sendo utilizado. Com isso, após várias diligências nesta terça-feira, o celular da vítima foi apreendido, estava em posse de Gilson Ferreira Lago.

O indivíduo foi conduzido para a delegacia para prestar depoimento e lá ele informou que comprou o aparelho do seu primo, Alexandre Ferreira Vieira.

Alexandre passou por interrogatório na delegacia e o mesmo entrou em contradição com o que foi dito pelo seu primo, sendo necessário uma acareação entre eles.

 

Logo após, Alexandre confessou o crime, informando que havia entrado na casa da vítima com o intuito de lhe roubar dinheiro, pois é usuário de drogas. Ele disse que a ambientalista estava em casa, e, quando o viu, começou a gritar. Dessa forma, não teve escapatória, teve que amarrar a vítima, imobilizando a sua boca, braços e pernas.

 

Com medo de ser descoberto, Alexandre efetuou um tiro  próximo à nuca da vítima. Ele ainda relata que agiu sozinho, utilizando uma arma de fogo pertencente ao amigo Tales Henrique Marcelino do Nascimento.

Segundo o diretor do Depin, há informações de que a vítima havia vendido um barco (e, portanto, estaria com muito dinheiro) e Alexandre é usuário de drogas.

 

A arma do crime foi realmente encontrada na casa da pessoa indicada como proprietária do instrumento. O autor do homicídio falou que não encontrou nenhum dinheiro na casa da ativista e apenas furtou o celular da mesma, vendendo o aparelho para o seu primo, o qual não teve conhecimento de que o produto era roubado.

Diante disso, a Polícia Civil da Bahia cumpriu a prisão temporária de Alexandre Ferreira Vieira e foi lavrado o auto de prisão em flagrante (APF) em face de Tales Henrique Marcelino do Nascimento, pela posse ilegal de arma de fogo.

De acordo com as investigações, foi confirmado que o crime não tem conotação política, e, sim, tratou-se de um latrocínio (roubo seguido de morte), uma vez que o autor é usuário de drogas e queria dinheiro para adquiri-las.

 

Por: Vida Diária / Robson Dias e Nadson Camargo

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notácia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.

MercadoSul
CNA
carnesSP
Exata
Lekao
GIL Academia