:: Vida Diária :: Jornalismo que completa o seu dia!

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), viu essa semana parte de inquérito da Lava Jato contra ele ser encaminhado ao TRE-SP. A Corte eleitoral investigará, agora, crime eleitoral e não mais de natureza criminal contra o tucano.

A manobra foi vista como uma "salvação" do político das garras da Lava Jato. Na Bahia, porém, três figuras importantes do cenário político, tiveram seus processos também encaminhados para o TRE-BA. Dois deles, inclusive, já inocentados.

O primeiro é o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, pré-candidato ao Senado. Wagner era acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de receber US$ 12 milhões em caixa 2 para a campanha de 2010, um relógio no valor de US$ 20 mil, além de repasses, também não registrados, de R$ 10 milhões.

As acusações, de acordo com a juíza Patrícia Cerqueira Kertzman Szporer não representavam "ilícito eleitoral". "Ou, ainda, da falta de indícios mínimos da ocorrência de delito na seara eleitoral para justificar a instauração de inquérito policial no âmbito desta Justiça Especializada. […] Restando demonstrado que não há qualquer referência ou elementos informativos mínimos de suposto crime eleitoral, não há que se falar em instauração de inquérito policial, ressalvada a possibilidade de procedimento apuratório se, em algum momento, surgirem indícios concretos, e não meras conjecturas desprovidas de amparo na realidade fática, que o justifique”.

Outro que se livrou de parte das acusações foi o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). O democrata era suspeito de ter recebido, via caixa 2, R$ 1,8 milhão da Odebrecht. Também juíza do caso, Patrícia Cerqueira Kertzman Szporer inocentou o prefeito.

O caso do vice-governador, João Leão (PP), provável postulante ao mesmo posto na eleição deste ano, ainda não teve desfecho. Em sorteio, o caso dele caiu nas mãos do juiz Paulo Roberto Lyrio Pimenta, também do TRE.

Leão é acusado de ter recebido R$ 100 mil, de forma não contabilizada, na campanha a deputado federal em 2010. A denúncia foi feita pelos delatores José de Carvalho Filho e Luiz Eduardo da Rocha.

Por: Vida Diária/Maispolitica.

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notácia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.

MercadoSul
CNA
carnesSP
Exata
Lekao
GIL Academia