:: Vida Diária :: Jornalismo que completa o seu dia!

Na manhã desta quarta-feira (21/11) na sessão ordinária da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, sob a presidência do vereador Agnaldo Teixeira Barbosa, o “Agnaldo da Saúde” (PR), os vereadores discutiram e votaram a LOA – Lei Orçamentária Anual que define as receitas e fixas as gastos e investimentos para o próximo ano de 2019. O Projeto de Lei oriundo do Poder Executivo Municipal já tramitava nas comissões permanentes do Poder Legislativo desde o dia 20 de agosto de 2018.

No grande expediente a Câmara Municipal só teve uma matéria em votação que foi o Projeto de Lei do Executivo nº 12 de 26 de setembro de 2018, de autoria do Poder Executivo Municipal, que estima as receitas e fixas as despesas do Orçamento Anual para o exercício financeiro de 2019. Os vereadores aprovaram por unanimidade a LOA – Lei Orçamentária Anual, que prevê o orçamento fiscal para 2019 no valor de R$ 504.330.000,00. O LOA veio do Poder Executivo solicitando 100% de suplementação, mas os vereadores só aprovaram o projeto concedendo apenas 30% de suplementação.

O orçamento de R$ 504 milhões para o ano de 2019 aprovado na manhã desta quarta-feira (21) pelos atuais vereadores teixeirenses ficou na média dos anos anteriores. O orçamento do ex-prefeito João Bosco (PT) no último ano do seu mandato em 2016, foi aprovado pelos parlamentares no ano anterior no total de R$ 506 milhões com 30% de suplementação. Já o orçamento de 2017 do primeiro ano do prefeito Temóteo Brito (PSD), foi aprovado pela Câmara anterior no valor global de R$ 470 milhões com 100% de suplementação. O atual orçamento do segundo ano da gestão do prefeito Temóteo Brito, aprovado pela atual Câmara no ano passado é de R$ 474.213.000,00.

A LOA – Lei Orçamentária Anual, se trata do orçamento anual propriamente dito. Prevê os orçamentos fiscal, da seguridade social e de investimentos públicos. Todos os gastos do governo para o próximo ano são previstos em detalhe na LOA. O cidadão encontrará na LOA a estimativa da receita e a fixação das despesas do governo. É dividida por temas, como saúde, educação e transporte.

Prevê também quanto o governo deve arrecadar para que os gastos programados possam de fato ser executados. Essa arrecadação se dá por meio dos tributos (impostos, taxas e contribuições). A Lei Orçamentária Anual (LOA) estabelece os orçamentos do município, por intermédio dos quais são estimadas as receitas e fixadas as despesas do governo municipal. Na sua elaboração, cabe ao Poder Legislativo avaliar e ajustar a proposta do Poder Executivo, assim como faz com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e o Plano Plurianual (PPA).

 

PPA

Na sessão ordinária do último dia 22 de novembro de 2017, os atuais vereadores teixeirenses discutiram, votaram e aprovaram por unanimidade como matéria única do “grande expediente” o PPA – Plano Plurianual, que é um projeto oriundo do Poder Executivo Municipal que se trata de um planejamento de longo prazo, que deve ser realizado por meio de lei e só se vota ele em 4 em 4 anos, sempre no primeiro do início do mandato. O projeto do PPA é encaminhado pelo Poder Executivo à Câmara Municipal até 31 de agosto do primeiro ano de cada governo, mas ele só começa a valer no ano seguinte. Sua vigência vai até o final do primeiro ano do governo seguinte. Um PPA sempre começa a vigorar a partir do segundo ano do mandato do prefeito, terminando no primeiro ano do mandato seguinte.

 

LDO

Já em relação a LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias, os vereadores teixeirenses votaram e aprovaram desde o último dia 4 de julho, estabelecendo metas e prioridades para o ano de 2019. A LDO é elaborada anualmente e tem como objetivo apontar as prioridades do governo para o próximo ano. Ela orienta a elaboração da Lei Orçamentária Anual, baseando-se no que foi estabelecido pelo Plano Plurianual. Ou seja, é um elo entre esses dois documentos. A LDO deste ano, incluiu ineditamente o Projeto de Emenda à Lei Orgânica Municipal que alterou os artigos 94 e 95, que tornou obrigatória a execução da programação orçamentária que especifica o novo papel do vereador na execução orçamentária e financeira do município, com a conquista da sua própria emenda impositiva.

 

 Por: Vida Diária / Ascom

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notácia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.

MercadoSul
CNA
carnesSP
Exata
Lekao
GIL Academia

POPULARES Mais acessadas na semana