:: Vida Diária :: Jornalismo que completa o seu dia!

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial do país, acelerou para 0,72% em abril, pressionado principalmente pela alta dos preços de combustíveis e alimentos, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se da maior variação para um mês de abril desde 2015, quando o índice foi de 1,07%. Essa é também a taxa mais alta desde junho de 2018 (1,11%), quando o índice foi impactado pela greve dos caminhoneiros.

Pesquisa da agência Reuters com economistas estimava alta de 0,69% para o período.

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 1,91% e, em 12 meses, o índice ficou em 4,71%, acima dos 4,18% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores e acima da meta central do governo para a inflação de 2019.

 

 

Gasolina e tomate puxam alta

Segundo o IBGE, os preços do grupo transportes tiveram a maior variação no período (1,31%), exercendo o maior impacto sobre o IPCA-15, de 0,24 ponto percentual (p.p.). A segunda maior pressão sobre o índice foi do grupo alimentação e bebidas, com uma alta média de 0,92% em abril e impacto de 0,23 ponto percentual.

A maior pressão individual no mês foi da gasolina, que subiu 3,22%, respondendo sozinha por 0,14 p.p. do IPCA-15 de abril. Em 12 meses, a alta da gasolina chega a 3,91%.

O etanol subiu 2,74% e diesel teve alta de 1,06%. Já as passagens aéreas subiram 5,54%, embora tenham desacelerado em relação ao mês anterior, quando a alta foi de 7,54%.

Entre os alimentos, o destaque de alta ficou com o tomate (27,84%), segunda maior contribuição individual no índice do mês, com 0,07 ponto percentual. Em 12 meses, a alta do tomate chega a 45,91%.

Outros preços que pesaram na inflação de abril foram cebola (13,44%), batata-inglesa (25,59%), frutas (3,36%), carnes (1,55%) e alimentação no domicílio (1,43%).

 

Veja as variações dos 9 grupos pesquisados:

-Alimentação e bebidas: 0,92%

-Habitação: 0,36%

-Artigos de residência: 0,41%

-Vestuário: 0,57%

-Transportes: 1,31%

-Saúde e cuidados pessoais: 1,13%

-Despesas pessoais: 0,12%

-Educação: 0,06%

-Comunicação: -0,05%

 

Por: Vida Diária / G1

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notácia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.

MercadoSul
CNA
carnesSP
Exata
Lekao
GIL Academia