:: Vida Diária :: Jornalismo que completa o seu dia!

Teixeira de Freitas, 06 de janeiro de 2021: A estrutura remuneratória da Polícia Civil da Bahia (PC-BA) está entre as cinco piores do Brasil. A observação se aplica a cargos como os de delegado, escrivão e investigador e o dado resulta de uma compilação feita pelo Sindicato dos Delegados de Polícia Civil de São Paulo (Sindipesp).

Conforme o ranking levantado por aquela instituição representativa, no que tange à remuneração, os delegados e as delegadas, por exemplo, que ingressarem na polícia paulista neste 2021 terão a pior remuneração do Brasil, valor correspondente a R$ 10.382,48. A Bahia, neste caso, ocupa a 24ª posição, em um comparativo que considera os 26 estados mais o Distrito Federal, com remuneração inicial de R$ 11.608,71.   Dentre os estados das regiões Norte e Nordeste, a Bahia só está à frente do estado de Sergipe, que ocupa a 25ª posição neste ranking.

Nas primeiras cinco posições estão o Mato Grosso (R$ 24.451,11); Goiás (R$ 21.615,12); Alagoas (R$ 20.944,97); Rio Grande do Sul (R$ 20.353,06) e Pernambuco (R$ 19.793,57). 

A Bahia permanece na mesma posição quando comparados os salários aplicados no cargo de escrivão. O Estado tem remuneração inicial de R$ 3.969,56. O primeiro lugar nesta categoria é ocupado pelo Amazonas, com salário de R$ 9.613,14. Para os investigadores a PC-BA a remuneração inicial é semelhante à do escrivão, porém o estado avança para a 22ª posição. Também nesta categoria o Amazonas lidera, com salário semelhante ao da categoria anterior.

Para Fabio Lordello, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia da Bahia (ADPEB), os números denotam o estado de “abandono” que a instituição vive na Bahia. Segundo ele, a inexistência de reajuste dos últimos seis anos – período em que a Bahia é gerida por Rui Costa (PT) – explica o contexto de desvalorização remuneratória.

“A situação remuneratória dos delegados de polícia no estado da Bahia é a pior possível. Quando o governador do estado [Rui Costa] assumiu o governo nós estávamos entre os seis melhores estados em relação à remuneração. Hoje estamos nesta situação vexatória. Há um achatamento remuneratório nítido e isso tem causado grande insatisfação”, enfatiza Lordello.

O presidente relata que ainda a dificuldade de diálogo com o governo do Estado nos últimos anos, mas afirma que está, novamente, buscando abrir espaços de negociação. Segundo ele, a intenção é mostrar a real situação vivida pelos profissionais para “a médio e longo prazo vislumbrar melhores dias para a categoria”.

Por: Vida Diária/BahiaNotícias.

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notácia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.

MercadoSul
Exata
Lekao
GIL Academia

POPULARES Mais acessadas na semana